(82) 99160 9898  |  Ligue para Shalom  Adulto

   (82) 99399 6060  |  Ligue para Shalom  Adolescente

Do uso da Maconha

Os muitos efeitos do uso de maconha no sistema cognitivo chega a ser consenso na medicina, que diz: a maconha afeta tanto o físico quanto o psíquico do usuário, apesar de muitas pessoas gostarem dela. O sistema cognitivo é afetado em seu conjunto, da percepção visual à tátil, passando pela auditiva.

A droga ainda compromete as chamadas funções executivas, como a capacidade de estabelecer objetivos ou resolver problemas. Isso além da memória, bem como orientação, atenção e percepção.

São várias as pesquisas que indicam outros sintomas do uso de maconha. Entre eles, o aumento dos batimentos cardíacos e do fluxo de sangue. Por outro lado, os reflexos diminuem. Alucinações também podem ocorrer.

Problemas de saúde e doenças relacionadas:
Dependência – o risco de overdose é quase nulo, mas a dependência não é difícil de ser identificada. Sintomas como apatia, fadiga, pressão baixa e ansiedade são alguns dos componentes do quadro de dependência.

A maconha possui entre 50 e 70% mais substâncias cancerígenas que o tabaco propriamente dito. Além do câncer, pode acarretar diversos outros problemas de saúde.

Danos cognitivos: memória, coordenação motora e desempenho operacional (como o manejo de máquinas) são algumas das funções que podem ser prejudicadas por até 24h depois de fumar. Caso o uso seja prolongado, o dano pode ser permanente.

Problemas respiratórios: as vias aéreas podem sofrer lesões, inflamando os pulmões e comprometendo a defesa imunológica. Sintomas de bronquite crônica são recorrentes, bem como a incidência de bronquite aguda.

Transtornos psíquicos: o uso frequente está diretamente ligado ao aumento de risco de surto psicótico e esquizofrenia. Isso além de depressão, apatia, pânico, delírio e paranoia, entre outros. O risco passa a ser duas vezes maior.

Disfunção sexual: a fertilidade diminui, uma vez que os hormônios sexuais são desregulados.

Danos cerebrais: aumento do risco de AVC e Alzheimer.

Tratamento
A desintoxicação é apenas parte do começo. O tratamento ainda envolve abordagens psicoterápicas e farmacológicas, tudo integrado com os sintomas e/ou danos relacionados.